Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017
 

Blogs OKTV

Você está em: Home > Blogs
  • Governo Estado

    Estudantes apresentam projetos que representarão o Piauí no Parlamento Jovem

    21.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    De 26 a 30 de setembro, dois estudantes piauienses representarão o Piauí na edição 2016 do Parlamento Jovem Brasileiro (PJB). Antonia Maria Ferreira e João Marcos Silva, matriculados na Unidade Escolar Nossa Senhora da Paz e Centro de Ensino Médio de Tempo Integral (Cemti) João Henrique de Almeida Sousa respectivamente, foram os piauienses selecionados pela Câmara dos Deputados para concorrer com 309 projetos de estudantes de escolas de todo o Brasil.


    x


    O Parlamento Jovem Brasileiro é realizado anualmente e tem por objetivo possibilitar aos alunos de ensino médio de escolas públicas e particulares a vivência do processo democrático, mediante a participação em uma jornada parlamentar na Câmara dos Deputados, em que os estudantes tomam posse e atuam como deputados jovens. Os estudantes terão um mandato de parlamentar juvenil por um ano.


    Segundo a coordenadora estadual do programa, Regina Monteiro, eles serão empossados na terça-feira (27), receberão diplomação e defenderão seus projetos. “Muitos deputados assistem a defesa dos projetos de lei e alguns dele, inclusive, chegaram a apadrinhá-los em edições anteriores, colocando suas ideias adiante”, explica Regina.


    Pela terceira vez consecutiva, o Cemti João Henrique envia um aluno como jovem parlamentar. Nesta edição, João Marcos representará a unidade com um projeto de lei que aborda a implantação de projetos de responsabilidade socioambiental dentro das escolas. O segundo projeto foi desenvolvido pela estudante da Antonia Maria, da escola Nossa Senhora da Paz que, ao perceber os problemas acarretados pelo uso da bebida alcoólica entre os jovens e a falta de projetos que abordassem o tema, desenvolveu o projeto de lei que cria o Fundo Nacional de Prevenção e Combate ao Alcoolismo Infanto-Juvenil nas escolas.


    “Além de todos os problemas causados na família, percebi que o acesso precoce e o uso exagerado da bebida alcoólica também dificultam a permanência do aluno na escola, gerando um elevado índice de evasão escolar”, relata a aluna. Vinda do município de Miguel Alves, a estudante mora há três anos na casa das Irmãs Ursulinas, localizada ao lado da escola Nossa Senhora da Paz. “Nunca imaginei que um dia teria essa oportunidade. Quando voltar quero repassar tudo aquilo que aprendi, visando o bem maior de todos e, um dia, quem sabe, poderei me tornar uma parlamentar”, afirma Antonia.


    Durante encontro realizado na manhã desta quarta-feira (21) com os alunos, a secretária de Educação, Rejane Dias, parabenizou a conquista e falou da importância do Programa pra os jovens. “Esta é a 13ª edição do Parlamento Jovem e o Piauí está sempre presente. Ficamos muito felizes porque esta será uma experiência riquíssima para eles e tenho certeza que seremos bem representados. Esta é uma oportunidade extremamente relevante porque uma coisa é ouvir falar do funcionamento da câmara e outra é vivenciar. Esperamos que eles saiam de lá com outra visão, pois sabemos o quanto é importante a participação da nossa juventude na política”, explica.


  • Governo Estado

    Seid capacita conselheiros de defesa dos direitos da pessoa com deficiência

    21.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    A Secretaria de Estado para Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid) e o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Conede-PI) capacitaram, nesta quarta-feira (21), os conselheiros estaduais de defesa dos direitos da pessoa com deficiência.


    x


    O evento também marca as comemorações do Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, que foi instituído pelo movimento social em Encontro Nacional, em 1982, com todas as entidades nacionais. O dia 21 de setembro foi escolhido pela proximidade com a primavera e ao Dia da Árvore, numa representação do nascimento das reivindicações de cidadania e participação plena em igualdade de condições.


    A capacitação foi realizada na sala de reuniões da Seid e teve como objetivo falar sobre a importância do conselho e dos conselheiros para a efetivação da inclusão da pessoa com deficiência. Além disso, proporcionar uma atualização sobre os direitos da pessoa com deficiência, com a palestra do ex-presidente do Conselho Nacional de Defesa dos Direitos das Pessoa com Deficiência, Antonio Jose Ferreira, sobre a Convenção da ONU, os direitos das pessoas com deficiência e a Lei Brasileira de Inclusão.


    De acordo com a diretora de Gestão da Seid e conselheira do Cenede-PI, Helena Lima, os conselhos trabalham a orientação das políticas públicas voltadas para a melhoria de vida das pessoas com deficiência, por isso, deve passar por constantes atualizações. “O conselho é um órgão deliberativo e composto por entidades governamentais e não-governamentais”, destaca a diretora.


    O secretário para Inclusão da Pessoa com Deficiência, Mauro Eduardo, fala que o conselho é importante para ter o governo e a sociedade reunidos, discutindo políticas públicas para as pessoas com deficiência. “O conselho também tem o papel de fiscalizar, acompanhar, monitorar e cobrar a política de inclusão da pessoa com deficiência no município”, destaca o gestor.


    Durante o evento, foram realizadas palestras e explanações sobre os direitos das pessoas com deficiência, a importância da capacitação dos conselheiros, a educação inclusiva, acessibilidade, além dos projetos desenvolvidos na Seid, como o Piauí Praia Acessível.


  • Governo Estado

    DPE-PI participa de oficina sobre o enfrentamento da violência sexual contra criança

    21.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    A coordenadora do Núcleo Especializado da Infância e da Juventude da Defensoria Pública do Estado do Piauí, defensora pública Karla Cibele Teles de Mesquita Andrade, que também é titular da 2ª Defensoria Pública da Infância e da Juventude, participou, nesta quarta-feira (21), no Hotel Blue Tree, da Oficina de Disseminação do Plano Nacional e Pactuação do Plano Estadual de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes.


    x


    O evento é promovido pelo Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedeca RJ) que é o executor do Projeto em todo o Brasil, pelo Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes e pela Rede ECPAT Brasil de enfrentamento ao tráfico e exploração sexual de crianças e adolescentes, tendo ainda o apoio do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) e da Secretaria Especial de Direitos Humanos (SEDH).


    A Oficina é uma das atividades do Projeto “Disseminação do Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes”, no âmbito do Convênio  nº 792207/2013 da SEDH.


    Segundo Vera Cristina de Sousa, coordenadora do Cedeca RJ e integrante da Coordenação Colegiada da Rede ECPAT Brasil, o principal objetivo é trazer para o Piauí o Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes. “Já passamos em quase todos os Estados, faltando, depois do Piauí, apenas Santa Catarina e São Paulo, e por onde estivermos, além de trazer o Plano, também faremos um panorama do Estado no enfrentamento à violência contra a criança e o adolescente, passando ai pelo abuso e pela exploração sexual. Ao final de cada evento tiramos as estratégias para continuar esse enfrentamento. Então é importante que vejamos o Plano Estadual de Enfrentamento e também dos municípios, pois essa Oficina é um evento estadual, mas conta com representantes do Sistema de Garantia de Direitos tanto do município que a recebe como dos demais. Nosso objetivo é que as pessoas levem o Plano Nacional, se apropriem do Plano Estadual e possam ver, revisar e atualizar os Planos Municipais”, disse.


    A defensora Karla Cibele Andrade destacou a atuação da DPE-PI nesse enfrentamento. “Esse encontro está sendo realizado para que seja disseminado o Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra a Criança e o Adolescente, oportunidade em que se fará também a implementação do Plano Estadual dentro do qual existem alguns eixos nos quais a Defensoria tanto tem ações como responsabilidades por ser parceira nesse enfretamento. Importante destacar que por meio do Núcleo de Defesa da Criança e do Adolescente a Defensoria já desenvolve algumas atuações como a judicialização de ações junto à Vara da Infância, que realiza a defesa dessas vítimas. Fazemos ações de suprimento de registro de nascimento para muitos que sequer têm o primeiro registro, solicitamos a segunda via dessa documentação e atendemos a própria vítima da forma mais humanizada possível, por meio da nossa estrutura física e humana. Também encampamos junto com a juíza da Primeira Vara da Infância, dra. Maria Luiza Freitas, uma luta para que seja instalada uma vara específica para apuração de crimes de violência contra a criança e o adolescente, porque o nosso Núcleo faz apenas a parte cível. Então, a Defensoria tem se colocado como ator e parceira nessa luta que é tão aguerrida em defesa das crianças e adolescentes”, afirma a defensora.


  • Governo Estado

    Agricultores são beneficiados através do Programa de Aquisição de Alimentos

    21.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    Diretamente 211 famílias são beneficiadas em oito municípios, e indiretamente 1.688 agricultores.


    O Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Piauí (Emater) tem sido um dos principais agentes de articulação do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), no interior do estado do Piauí. Este programa é de fundamental importância para o agricultor familiar, pois tem contribuído para a melhoria da renda dos pequenos agricultores.


    As ações do PAA no Território Chapada das Mangabeiras são articuladas em parceria com Sindicatos, Associações, Conselho de Desenvolvimento Regional Sustentável (CDRS), entidades recebedoras e agricultores familiares fornecedores de produtos  em seus respectivos municípios.


    O Programa beneficia diretamente 211 famílias de produtores rurais em oito municípios, e indiretamente 1.688 agricultores e agricultoras. Vale destacar que as ações estão sendo desenvolvidas nos municípios de Colônia do Gurgueia, Alvorada, Palmeira, Santa Luz, Currais, Cristino Castro, Redenção e Manuel Emídio.


    De acordo com o coordenador regional do Emater de Bom Jesus, Alcimar de Sousa  e Silva, o resultado desta ação é  o direcionamento da   produção dos agricultores, que conseguem produzir e comercializar seus produtos por um preço justo e melhoria da qualidade dos produtos ofertados. “Esta melhoria estimulou o processo de criação do Selo de Inspeção Municipal (SIM) na região, melhoria na renda dos agricultores e articulação com os agentes locais que ajuda no fortalecimento da organização dos produtores”, explicou.


    Foram apresentadas oito propostas e a previsão é que seja acessado cerca de R$ 850.000,00 em recurso.  Até dezembro deste ano, a equipe de Bom Jesus estará concluindo acompanhamento das etapas do Programa. Para 2017 espera-se a entrada de mais municípios a fim de que se possa aumentar o número de agricultores beneficiados.


    Segundo o diretor-geral do Emater, Marcos Vinicius, a execução deste  Programa vem em primeiro lugar garantir aos agricultores  a compra  por parte do Governo, dos produtos da agricultura familiar, mas antes disso, pretende ajudar na comercialização e na organização dos produtores. “Este é o maior desafio para o Programa. O Emater tem ajudado em parceria com o STTR, Secretarias Municipais de Agricultura, Seduc e outros parceiros na busca por uma agricultura familiar mais organizada e com resultados reais”, disse.


  • Governo Estado

    ATI-PI faz diagnóstico sobre infraestrutura de tecnologia de penitenciárias piauienses

    21.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    A equipe técnica da Agência de Tecnologia da Informação do Piauí (ATI-PI) deu início a uma série de visitas às penitenciárias do Estado. As viagens são frutos de uma parceria entre a ATI e a Secretaria Estadual da Justiça (Sejus), e visam coletar informações sobre a atual infraestrutura de tecnologia desses espaços de segurança.


    x


    O coordenador de Redes da Agência de Tecnologia, Eziclei Castro, conta que a princípio três penitenciárias do Sul do Piauí receberam a equipe técnica da ATI. “Iniciamos pela região Sul do estado visitando a penitenciária Vereda Grande em Floriano, depois passamos pelas Penitenciárias Regionais dos municípios de Oeiras e Bom Jesus”, conta.


    A equipe faz em cada penitenciária um checklist com anotações sobre os itens encontrados. “Vamos diagnosticar a condição dos links de internet, estrutura de rede, bem como computadores e demais equipamentos de informática desses locais. Esse checklist é fundamental para a análise da atual situação das penitenciárias, assim como para as medidas que serão tomadas visando o melhoramento dos serviços e rotina das penitenciárias”, esclarece.


    Eziclei também fala que no momento há uma equipe em campo visitando penitenciárias de outras regiões do estado. “Tão logo finalizemos as visitas, prosseguiremos com o trabalho da segunda etapa que diz respeito à confecção de um relatório da situação encontrada e neste as medidas a serem tomadas para correção e melhoria desse parque de informática”, conclui.


  • Governo Estado

    ADH oferece curso de cabeleireiro no Jacinta Andrade

    21.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    Abertura do curso de cabeleireiro no Jacinta Andrade( Foto: Ascom ADH)


    Com o objetivo de ampliar as possibilidades profissionais dos moradores do Residencial Jacinta Andrade, a Agência de Desenvolvimento Habitacional (ADH) iniciou, na segunda-feira (19), mais um curso de qualificação profissional. Trata-se do curso de cabeleireiro assistente, resultado de uma parceria entre a ADH e o Senai.


    x


    Segundo a diretora-geral da ADH, Gilvana Gayoso, o curso tem carga horária de 200 horas, dividido nos turnos tarde e noite, com previsão de término para o dia 30 de setembro. “A realização do curso de cabeleireiro foi uma sugestão dos próprios moradores que, com essa qualificação, poderão trabalhar em salões de beleza ou ter o próprio negócio”, explica Gilvana.


    A Agência de Desenvolvimento Habitacional  também promoveu, em parceria com a Fundação Wall Ferraz, o curso de auxiliar administrativo no período de 4 de julho a 17 de agosto. Antes, os moradores do residencial Jacinta Andrade já tinham sido beneficiados com os cursos  de pedreiro e peças íntimas, outra parceria com o Senai.


    De acordo com a gerente de Serviço Social da ADH, Clara Said, a procura pelo curso de cabeleireiro foi muito grande, existindo uma lista de espera. “Aplicamos um teste seletivo. A expectativa dos participantes é de trabalhar imediatamente na área”, declara ela. Todos os cursos estão sendo realizados na Escola Municipal Poeta da Costa e Silva, que fica no residencial.


    “A realização do curso faz parte do eixo Geração de Renda do projeto social que desenvolvemos no residencial Jacinta Andrade. Esta ação beneficia os moradores daquela localidade, qualificando-os e, consequentemente, possibilitando uma melhoria na renda familiar dos mesmos”, esclarece a assistente social Nelimária Crisanto, da ADH.


  • Governo Estado

    Inaugurado curso de medicina da UFPI em Picos

    18.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    A primeira turma conta com piauienses e estudantes de outros estados, preenchendo as 30 vagas disponibilizadas.


    Solenidade de inauguração do curso de medicina da UFPI de Picos( Foto: Cristal Sá)


    O secretário estadual de Governo, Merlong Solano, representou o governador Wellington Dias na inauguração do curso de medicina do campus Senador Helvídio Nunes de Barros da Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Picos. A solenidade foi nessa sexta-feira (16), no próprio ampus.


    Merlong ressaltou o empenho dos governos Lula e Dilma pela interiorização da educação e da saúde, inclusive com a criação de cursos de medicina no interior. “Para isso, fixaram as fontes, alocando recursos para a educação. Essa visão de governo garantiu a expansão das universidades. A UFPI, por exemplo, só tinha um curso de medicina, agora possui três”, afirmou Solano.


    O reitor da UFPI, Arimatéia Dantas, destacou as conquistas da instituição nos últimos anos, o crescimento da graduação e pós-graduação, e as vitórias em grandes competições acadêmicas. “Nós temos o melhor hospital universitário do país, segundo a Ebserh (empresa que administra os hospitais universitários). Com estrutura moderna, totalmente  climatizado, equipamentos


    A diretora do campus, Maria Alvenir Barros, fez um relato da trajetória percorrida para que a instalação do curso se tornasse realidade. “Em 2010, a UFPI apresentou um projeto ao então ministro da Educação, mas tivemos que esperar a lei que instituiu o programa Mais Médicos, em 2013. Depois, as lutas por equipamentos e servidores. Foi uma caminhada longa e esse é um momento histórico para o Semiárido piauiense porque um curso de medicina não vem sozinho. O próximo passo é reestruturar o serviço médico e hospitalar de Picos”, frisou Maria Alvenir.


    A coordenadora do curso, Patrícia Batista, adiantou que a instituição trabalhará com uma metodologia diferente da tradicional e que os acadêmicos serão colocados em contato com a comunidade e as habilidades médicas desde o primeiro período, acompanhados em pequenos grupos por tutores.


    A primeira turma conta com piauienses e estudantes oriundos de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte, São Paulo e Distrito Federal, preenchendo as 30 vagas disponibilizadas. “A comunidade da UFPI tem talento e competência que não deixa a desejar em nenhum lugar desse país. Tenham orgulho da universidade em que vocês estão”, frisou o reitor Arimatéia Dantas em fala direcionada aos novos alunos de medicina.


    A aula inaugural foi ministrada pelo professor Carlos Henrique Nery Costa, do Departamento de Medicina Comunitária da UFPI.


  • Governo Estado

    Seminário trabalha ressocialização de detentos por meio da religiosidade

    18.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    A Sejus e a comunidade Shalom realizaram, na Colônia Agrícola Major César Oliveira, o Seminário de Vida no Espírito Santo.


    Seminário de Vida no Espírito Santo na Colônia Agrícola Major César Oliveira (Foto:Ascom Sejus)


    Seminário de Vida no Espírito Santo na Colônia Agrícola Major César Oliveira( Foto: Ascom Sejus)


    A Secretaria de Estado da Justiça (Sejus), por meio da Coordenação de Assuntos Religiosos e da Diretoria de Humanização e Reintegração Social, organizou, neste sábado (17), na Colônia Agrícola Major César Oliveira, que fica em Altos, o Seminário de Vida no Espírito Santo, realizado pela comunidade católica Shalom.


    O seminário tem com objetivo fazer a pregação religiosa católica com atividades como palestras e dinâmicas. Essas ações, no caso do sistema prisional, são adaptadas à realidade das pessoas privadas de liberdade e buscam, dessa forma, trabalhar o processo de ressocialização, por meio da religiosidade.


    “Dentro das ações de apoio religioso que a Secretaria da Justiça desenvolve nas penitenciárias, o Seminário de Vida no Espírito Santo surge como uma nova forma de trabalhar a construção pessoal dos reeducandos, vislumbrando o resultado na efetiva reinserção social”, pontua a assistente social Cibelle Mello.


    De acordo com a Coordenação de Assuntos Religiosos da Secretaria da Justiça, 15 instituições religiosas vêm desenvolvendo, hoje, ações junto às pessoas privadas de liberdade nos presídios do Estado, promovendo atividades como batizados, missas e cultos, confissões, palestras e outras.


    O secretário de  Estado da Justiça, Daniel Oliveira, ressalta que a gestão no sistema prisional do Piauí se baseia em três diretrizes principais: educação, trabalho e religiosidade. “Só é possível humanizar o sistema prisional, dando, assim, uma perspectiva de mudança às pessoas privadas de liberdade, se nos orientarmos nessas diretrizes”, destaca o gestor.


  • Governo Estado

    Pesquisa mostra importância das farinhadas na formação da identidade cultural

    18.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    Um projeto apoiado pela Fapepi investiga esse processo na comunidade Serra do Tanque, entre Santana do Piauí e Picos.


    Atividade enraizada na cultura nordestina e mostrada ao Brasil por meio dos versos de Luiz Gonzaga, a farinhada virou objeto de estudo de uma pesquisa científica na região de Picos. Alunos do ensino médio do Instituto Federal do Piauí (IFPI), sob a coordenação do professor Ms. Rodrigo Gerolineto Fonseca, estão investigando a importância da atividade na formação da identidade dos moradores da Serra do Tanque, localizada entre os municípios de Santana do Piauí e Picos.


    x


    O projeto é apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Piauí (Fapepi), que concede bolsas de iniciação científica para os alunos que participam do grupo de pesquisa.


    O coordenador do projeto destaca que o interesse por investigar o tema surgiu com a descoberta de que um de seus alunos reside na Serra do Tanque e, ao visitar a região, o professor conheceu uma casa de farinha e achou interessante a alegria com que as pessoas realizavam a farinhada. Atualmente, o grupo de pesquisa é formado por quatro bolsistas e um pesquisador voluntário, que é justamente aquele que apresentou ao professor a atividade realizada na Serra do Tanque.


    O professor Rodrigo Gerolineto destaca que a atividade, também conhecida como desmancha, realizada entre os meses de junho e agosto, tem perdido adeptos na região, fato que coloca em risco a tradição da cultura regional. “A Serra do Tanque já abrigou cerca de trinta casas de farinha. No ano de 2016, apenas cinco delas realizaram a desmancha”, lamenta o docente.


    Diferente da produção nas fábricas convencionais, mesmo as que utilizam técnicas artesanais, a farinhada constitui um bem da cultura imaterial. Trata-se de evento que congrega agricultores e seus familiares, vizinhos, amigos, podendo complementar a mão de obra necessária com a contratação de trabalhadores diaristas. Elemento importante na composição da renda familiar, a farinhada estreita os laços sociais, permite a troca de experiências e preserva a cultura. A participação dos jovens é a garantia da transmissão desse saber às novas gerações.


     


    “A farinhada permite o aproveitamento de produtos como o cascalho e o leite (água usada na lavagem da massa) que são usados na alimentação de animais. Esta prática cultural tem sido um termômetro das condições de vida dos agricultores, além de contribuir para sua permanência no campo. Em geral, quando os produtores deixam de realizar a farinhada, significa que fatores econômicos ou climáticos têm afetado significativamente suas vidas”, afirma Rodrigo Gerolineto.


    O professor destaca que, por ter essas características, a atividade da farinhada deve ser observada com atenção. “Ao valorizarmos a cultura imaterial, estamos promovendo a afirmação dos portadores dos bens culturais como cidadãos e sujeitos históricos. A cidadania cultural é uma das dimensões da vida social capaz de promover empoderamento das pessoas a partir dos locais onde vivem”, conclui Gerolineto.


    A pesquisa também se preocupa em apontar possíveis ações de valorização e proteção do bem cultural, em consonância com a Convenção da Unesco de 2003, que prevê a salvaguarda dos bens imateriais e a sensibilização em nível local, nacional e internacional, para que os bens culturais sejam valorizados. As tradições, saberes e expressões culturais constituem verdadeiros patrimônios das sociedades em todo o mundo. No caso da farinhada da Serra do Tanque, existe uma gama de conhecimentos e competências pertencentes à dimensão da cultura intangível que servem à sustentabilidade da vida no campo. Por isso, também é um modo de se identificar e estabelecer o seu lugar no mundo por meio de ações criativas e inovadoras. Os instrumentos e as técnicas podem variar, o que é revelado pelas diferentes configurações dos aviamentos e nas adaptações dos instrumentos de produção.


    Para conhecer a relevância deste bem cultural na formação da identidade dos moradores da Serra do Tanque, a pesquisa tem abordado as histórias de vida dos farinheiros e ex-farinheiro e, de acordo com essa abordagem, é possível perceber a ligação afetiva com este “saber fazer” que delimita episódios marcantes, como a aquisição de uma pequena propriedade ou o aprendizado, ainda na infância, junto a mães, pais ou avós já falecidos.


    “As memórias a cerca do passado de farinheiros e farinheiras trazem forte carga emotiva, e, por outro lado, preocupações com o futuro. As novas gerações já se dividem entre a vida na serra e o trabalho na cidade para sustentar suas famílias”, afirma o professor Rodrigo Gerolineto Fonseca.


    O coordenador destaca que, com os depoimentos coletados durante a pesquisa, será feito um documentário, que pretende valorizar e promover este patrimônio imaterial brasileiro.


    “O documentário não tem a pretensão de se destacar como obra cinematográfica, mas de popularizar a produção científica e estreitar os laços com a comunidade, retornando ao público o investimento feito em nosso trabalho. Trata-se de um esforço em encontrar novas linguagens e suportes para comunicar a produção acadêmica e coletivizar o acesso ao conhecimento. Para isso, temos ainda o apoio do Pibex e do Pibic Jr. do IFPI”, destaca o professor.


    Riscos à atividade


    Durante os estudos, o grupo tem identificado alguns aspectos que são determinantes na redução da atividade na região da Serra do Tanque, como a redução da produção das roças de mandioca, localizadas na cidade de Marcolândia, devido à escassez de chuvas, e o aumento dos custos de produção.


    Além disso, as mudanças características dos processos de globalização agravam esse quadro. No plano econômico, o encurtamento das distâncias e a dinamização da economia regional, já que Picos é uma cidade polo, facilitam tanto as mudanças nos hábitos de consumo, como o ingresso de novos produtos concorrentes com a goma produzida na região.


    “Observamos produtos expostos nas gôndolas de supermercados da cidade de Picos e foi possível encontrar goma fresca embalada a vácuo, vinda dos estados de Mato Grosso, Paraná, Paraíba e Pernambuco. A produção em escala feita por estas indústrias, as compras por impulso nos supermercados e a facilidade no preparo do alimento oferecem forte concorrência à produção artesanal. Além disso, os produtores da serra devem arcar com o ônus do transporte à feira livre, principal local de venda, ou entregá-la a atravessadores”, destaca o professor.


    Já no plano cultural, a pesquisa constata que o crescimento urbano de Picos tem atraído os jovens com ofertas de trabalho, estudo e lazer. Assim, a formação destes jovens e seus projetos pessoais se distanciam do ritmo da vida na comunidade rural, onde se dá a transmissão geracional do bem imaterial. Ao mesmo tempo, a eletrificação permitiu a chegada da internet, vetor tecnológico impulsionador de novas práticas de consumo cultural entre os jovens e novos padrões de sociabilidade.


    Como possível solução para o problema, o professor Rodrigo Gerolineto destaca a importância da farinhada estar inclusa dentre as prioridades das políticas de desenvolvimento local e regional.


    “Como medida de gestão, inclui-se, por exemplo, a possibilidade de estreitar os laços entre os produtores e os empresários locais. O patrimônio imaterial, assim protegido, pode alcançar valor simbólico, ganhar visibilidade e gerar renda para a comunidade, estimulando a sua continuidade”, finaliza Rodrigo.


  • Governo Estado

    Inscrições para ouvidor-geral da Defensoria Pública encerram nesta segunda (19)

    18.09.2016 | Postado por: | 0 Comentários

    Os interessados devem procurar o setor de protocolo do Núcleo Central da DPE-PI, até às 13h30.


    As inscrições para o cargo de ouvidor-geral da Defensoria Pública do Estado do Piauí encerram nesta segunda-feira (19). Os interessados devem procurar o Setor de Protocolo do Núcleo Central da DPE-PI, localizado a rua Nogueira Tapety, 138, Bairro Noivos, das 7h30 às 13h30.


    As inscrições têm que ser obrigatoriamente efetivadas tanto pelas pessoas que desejam se candidatar ao cargo de ouvidor como pelas entidades da sociedade civil, que indicarão um representante para exercer o voto no processo de eleição da lista tríplice que conterá os nomes dos três candidatos mais votados.


    O ouvidor-geral a ser escolhido exercerá a função no biênio 2016/2018. São requisitos para concorrer ao cargo, entre outros, ser brasileiro nato ou naturalizado ou português amparado pela reciprocidade  de direitos; estar em pleno exercício dos direitos políticos e quite com as obrigações militares, se candidato do sexo masculino; ser moralmente idôneo e possuir reputação ilibadas; não ocupar, por ocasião da posse no cargo de ouvidor, cargo eletivo em qualquer uma das esferas da administração pública municipal, estadual ou federal, direta ou indireta; possuir atuação social comprovada por, no mínimo, um ano na promoção de defesa dos direitos em quaisquer das áreas afetas à Defensoria.


    Após o recebimento, análise e deferimento das inscrições por parte da comissão, a votação e eleição para a formação da lista tríplice deverá ocorrer em sessão pública como consta no edital nº 001/2016, datado do dia 23 de agosto e publicado no site da DPE-PI (www.defensoria.pi.def.com.br) e também no Diário Oficial do Estado nº 160, datado de 25 de agosto de 2016.


Parceiros